São Paulo, um domingo qualquer

Quando a recíproca não é verdadeira

“onde não puderes amar, não se demores”

Dizem que a frase é da Frida Kahlo. Mas gosto de checar fontes (Clarice Lispector e Caio Fernando Abreu agradecem) e parece que não é, não. Faltou fonte confiável para confirmar a autoria, mas não importa. Só importa que é verdade.

Falo muito, ou falei, sobre como é bom ser esse mulherão independente que vive a própria vida e viaja o mundo sem depender de ninguém, et al. Mas andei escrevendo sobre dor de cotovelo também, sobre solidão louca, sobre buscar amor (ou qualquer coisa parecida) nos lugares errados. Às vezes parece contra-senso, mas acontece que uma coisa não anula a outra. Aposto que até Katherine Hepburn caiu na sofrência também. Paixão e dor andam juntos. Dá pra ser porreta, forte, foda e desejar um amorzinho pra transar violento & dormir de conchinha e tomar café rindo na manhã seguinte.

E dá pra se enganar achando que encontrou. Não dá?

Mas a reciprocidade é importante.
No crush, também.

Não se pode criticar o outro por algo que você quer, acha que quer, sei lá, se pensar bem talvez nem queira direito. Não assim, unilateral. Sei porque já fui o lado incapaz de corresponder sentimentos/expectativas e a chance é que você também já foi e sabe que não é culpa de ninguém.

Pode aprender a saber o que quer. E pode aprender a ir atrás também (aliás, deve). Um fora é menos dolorido se sabemos onde queremos estar e pra isso vale aprender a distanciar da medonha mistura de carência e saudade, aprender a ser sincera com você mesma, dar aquela olhada boa com luz fria no espelho do banheiro e repetir o mantra “não quero isso pra mim.”

Três vezes, sete vezes, quantas vezes precisar.

Não dá para garantir o sentimento do outro, mas é possível observar e entender o seu desejo real-oficial. O outro não te procura? respondeu seu nude com emoticon de sorrisinho? não tem assunto? você não se sente à vontade para falar sobre o que sente? configurou contatinho? Bota na sua cabeça que o recíproco só existe se é dito por ambas as partes e que a ilusão que você criou pode ser apenas ilusão mesmo. E é bem capaz que seja só sua.

Então pelo bem da sua sanidade mental, meu amor, saiba dizer não pro coração quando o que você quer só existe na sua cabeça.

“onde não puderes amar não te demores”.

E segue o bloco.

--

--

https://linktr.ee/GaiaPassarelli

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store