estou em um processo de refazer meu espaço nessa internet de meudeus (não é blog de viagem, não é dica de música) usando o Medium como plataforma. vou divulgar depois de pronto, claro, mas até lá esse espaço pode apresmetar pequenos bugs, como posts duplicados e afins.

enquanto isso -> me leia no Paulicéia (segundas e quartas) e no Tá Todo Mundo Tentando (sextas).

new time, new place. foto: mari vieira.

Repórter do caderno Ilustrada da Folha de São Paulo, conta como é fazer cobertura cultural durante a pandemia — e o que acha que virá depois.

Você precisou adaptar seus assuntos na Ilustrada? O quanto as pautas que você escreveu no período de pandemia são diferentes do que era feito antes?

Sim. A gente perdeu o presencial. Antes eu visitava três, quatro exposições por semana, ia em shows. O presencial é muito forte, é sempre…

Todas as threads do Paulicéia:

Você tá com coragem de comer em restaurantes?
E um cineminha, tá rolando?
Rumo à décima edição: o que virá depois?
Que lugar de São Paulo você quer visitar quando a pandemia acabar?
Que restaurantes de comida afro-brasileira em São Paulo você conhece?

Foto: Kelly Sikkema via Unsplash

As 'threads' são uma das opções mais usadas pelos autores no Substack. Não tem muito segredo: são caixinhas de comentários, que podem ser sobre o tema da edição enviada ou sobre qualquer outra coisa. Alguns autores fazem "live threads", como os encontros semanais do próprio Substack com foco em desenvolvimento de audiência ou, às vezes, sobre exploração de novos formatos e monetização. Não é preciso estar cadastrado na plataforma para participar. Tudo gira, claro, na intenção de interagir com a audiência.

Um tema e dois envios por semana: entrevistas com pessoas que trabalham pela cultura em São Paulo: gente da literatura, gastronomia, música, teatro, grafite, noite, museus e outras coisas mais, no centro e nas periferias.

Assine e/ou apoie o Paulicéia

Substack Local: o Paulicéia tem apoio do Substack Local, iniciativa da Substack para desenvolver iniciativas de jornalismo local em todo o mundo.

“Somos o maior eixo cultural do hemisfério sul e seremos reconhecidos como destino-desejo internacional,” diz o guia profissional Renato Crestincov.

Na edição passada o Renato Crestincov, guia de turismo especializado em tours personalizadas de arte e design em São Paulo, falou sobre seu trabalho e sobre as (boas!) perspectivas para o turismo na cidade em 2022 — se a pandemia deixar, claro. Hoje, ele volta com sete de seus programas preferidos na cidade (e que sempre fazem sucesso nas tours). Depois das dicas dele você encontra outros links de rolês possíveis que estão acontecendo em São Paulo esse mês.

Leia post completo no Paulicéia.

Originally published at https://pauliceia.substack.com on August 11, 2021.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store